10 dicas para economizar na viagem

moeda

401(K) 2013

Para aproveitar uma viagem ao máximo, é sempre bom ficar de olho no orçamento. Evitar gastos desnecessários para poder investir em mais passeios e atividades interessantes é a chave de uma viagem de sucesso. O Guia+Viagens em conjunto com o AEIOU e HostelBookers, o site especialista em hospedagem barata pelo mundo, listam a seguir dicas para fazer o seu dinheiro render mais quando estiver em viagem.

[toc]

1. Viajar no meio da semana

Se o itinerário permitir, dê preferência para voar às terças e quartas-feiras que, geralmente, têm as tarifas mais baratas. Fim de semana, claro, são os dias mais caros e mais movimentados, enquanto segundas e quintas também costumam ter mais procura.

2. Consultar dias gratuitos para visitas

Muitas vezes, um bilhete para um museu ou galeria pode pesar no orçamento da viagem. A maioria deles, porém, oferece entrada gratuita em determinado horário ou dia da semana, então vale conferir os sites oficiais antes de visitar. A mesma dica vale para sessões de teatro ou cinema – as da tarde geralmente são mais baratas (e menos cheias) que as da noite.

3. Usar carteiras de desconto

Quem é estudante, professor, jornalista, funcionário do governo, idoso, militar etc., vale a pena trazer consigo um documento que comprove tal função ou condição. Se tiver respaldo internacional, tanto melhor. São inúmeros os museus, parques, lojas, clubes e até hospedarias que oferecem descontos atraentes.

4. Dividir as despesas

Viajar sozinho tem as suas vantagens, mas ter alguém para dividir as experiências e, principalmente, as contas, pode ter ainda mais. Num restaurante, dependendo da fome, vale a pena dividir um prato principal, acompanhado de uma salada ou entrada. Há ainda os buffets livres (de comida chinesa, indiana etc.), que costumam ter preços razoáveis.

5. Fugir das armadilhas turísticas

Olho na ementa do restaurante! Em países de língua não inglesa, se houver opção do menu em inglês, é provável que ele esteja numa área de interesse turístico. Portanto, é também provável que se pague mais pelo serviço justamente por este fato. A comunicação poderá sim ser facilitada, mas vai custar um pouco mais. A regra? Quanto mais longe dos pontos turísticos, mais barato ficará a conta.

6. Evitar os grandes centros comerciais

A mesma dica vale para as lojas, especialmente as de souvenirs. Aquelas instaladas do lado da Torre Eiffel ou do Coliseu, por exemplo, certamente vão cobrar mais pelos enfeites, até porque gastam muito mais com aluguer do espaço. Então, é sempre válido caminhar um pouco mais, explorar as ruas laterais e perguntar aos moradores locais pelas melhores ofertas.

7. Comprar em Bazar e outlets

Lojas de segunda mão, feiras, mercados, bazares e outlets são sempre uma boa dica para compras. Um aspeto curioso é que, aquilo que pode parecer velho ou fora de moda num país, tem muitas hipóteses de parecer cool e retro quando voltar para casa.

8. Evitar os táxis

É sempre bom pesquisar antes sobre as opções de transporte na cidade para onde viaja. Um simples táxi do aeroporto ao centro, por exemplo, pode comprometer o orçamento. Procure pelas linhas de autocarro e pelas ligações de metro/comboio/elétrico, e informe-se sobre os melhores bilhetes para vossos passeios.

9. Usar a cozinha do hostel

Uma das vantagens de ficar em um hostel é de ter, geralmente, uma cozinha à disposição dos hóspedes. Dá para economizar no pequeno-almoço, antes de sair para passear, e depois ao fim no dia, quando o jantar pode ser preparado com produtos baratos comprados num supermercado, por exemplo. Além da experiência social de partilhar as receitas com outros viajantes!

10. Guardar moeda estrangeira

Quando sobrar dinheiro depois de uma viagem, de uma moeda que é não é a vossa, quase sempre é melhor guardá-la para a próxima viagem, e não trocar de volta. Especialmente se for pouca quantidade, já que as taxas costumam ser maiores para quantias pequenas.

hostel-bookers-logo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here