25 funcionários do aeroporto de Lisboa acusados de furtar malas

O Ministério Público acusou, esta segunda-feira, 25 funcionários do serviço de bagagem do aeroporto de Lisboa dos crimes de furto qualificado, receptação e abuso de confiança, indicou a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

Segundo a Renascença, os arguidos são funcionários de uma empresa de assistência em escala ao transporte aéreo no aeroporto de Lisboa e tinham livre acesso às bagagens dos passageiros para as carregar ou descarregar no terminal de bagagens.

Os arguidos ter-se-ão aproveitado do exercício da profissão para se apoderarem ou receberem centenas de objetos de “valor considerável, fácil apropriação, ocultação e venda” que os passageiros transportavam nas malas. Artigos informáticos, bijuteria, vestuário, relógios e perfumes seriam os .

Segundo o Ministério Público, os arguidos sabiam da origem ilícita dos objetos. Sobre dois dos arguidos que cessaram funções naquela empresa pendem ainda acusações de se terem apoderado de bens que lhes tinham sido entregues para o exercício das funções que desempenhavam.

Os 25 arguidos foram sujeitos ao Termo de Identidade e Residência. O inquérito foi dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação de Penal de Lisboa, com a ajuda da PSP.

ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here