Alguns locais sagrados a visitar – catedrais e igrejas com “peso” histórico

celiocardoso

Praticamente em todos os locais que visitamos vamos encontrar uma igreja ou uma catedral com peso histórico para a cidade em questão. Se gosta de visitar locais sagrados e com um certo peso histórico, veja aqui as nossas sugestões.

[toc]

#1 Igreja do Santo Sepulcro/Monte das oliveiras: Jerusalém, Israel

Pedro de Freitas Jr

Jerusalém, a mais sagrada das cidades sagradas.

A Igreja do Santo Sepulcro no bairro cristão é um local tão sagrado que católicos, ortodoxos arménios, ortodoxos gregos, etíopes e ortodoxos sírios, todos reivindicam-na.

Fundada por Constantino, o primeiro imperador cristão de Roma, consagra o que a tradição afirma como sendo o túmulo de Jesus Cristo.

Três relíquias estão incrivelmente englobadas nesta igreja: o afloramento rochoso do Monte Calvário, tradicionalmente o local onde Jesus foi crucificado, a pedra da unção, acredita-se que a laje de mármore onde o cadáver quebrado de Cristo foi preparado para o enterro, e uma pedra primitiva tradicionalmente aceite como o túmulo onde Jesus foi sepultado por três dias, antes de milagrosamente ressuscitado de entre os mortos.

Após anos de incêndio, terramotos e saques, a Igreja foi mais ou menos arrasada, apesar dos seus santuários terem sido salvos.

A fachada data do século XII, quando os cruzados conquistaram Jerusalém e recuperaram as suas igrejas.

Fora da cidade velha, o Monte das oliveiras contém o mais antigo, talvez o mais sagrado, dos cemitérios judeus no mundo, bem como o local onde Jesus subiu ao céu, local onde Jesus ensinou aos seus discípulos a oração do Senhor e o pátio onde Jesus rezou supostamente na noite antes de sua prisão.

Com um legado destes tão rico, não é de admirar tantos lutem por Jerusalém.

#2 O Vaticano: Roma, Itália

Binh Nguyen Thai

Se é um católico praticante, o Vaticano, o segundo menor estado soberano independente do mundo, é um local imperativo a visitar em Roma.

Na Praça de São Pedro, o Papa aparece na varanda ao meio-dia todos os domingos para abençoar as multidões que se reuniram.

Em frente é a enorme fachada da Basílica de São Pedro, a Piazza San Pietro, com uma cúpula majestosa, projetada por Michelangelo.

São Pedro foi supostamente enterrado aqui em 64 a.d.. Na primeira nave à direita pode-se ver a escultura requintada do jovem Michelangelo da Pietà, ver o túmulo de São Pedro e subir até a cúpula, de escadas (491 degraus) ou de elevador e andar ‘apenas’ uns 320 passos. Na cúpula, terá uma vista impressionante sobre os telhados de Roma.

Em seguida pode visitar os museus do Vaticano, alojados numa secção dos palácios papais, uma série labiríntica de apartamentos luxuosos e galerias. Esta coleção de tesouros de antiguidade do renascimento é tão grande que os visitantes poderão escolher de entre quatro passeios, todos eles terminando na Capela Sistina.

#3 Notre-Dame: Paris, França

Olivier Bruchez

No coração de Paris, a Catedral de Notre-Dame encontra-se na ilha no meio do Sena (Ile de la Cité), onde a cidade cresceu primeiramente. Foi o ponto focal de Paris medieval.

Comece por fora sobre o Sena, no cais da margem esquerda, onde pode ver a catedral como um todo. Em seguida, atravesse a ponte e fique no pátio da frente a ver o trio de portais esculpidos do século XIII.

Notre Dame significa Nossa Senhora, e a Igreja é dedicada à Virgem Maria, que é comemorada nas portas esquerda e direita.

Dentro, poderá admirar a rosácea sobre o portal central, uma maravilha em vitrais, apresentando uma estátua da Virgem.

Um lugar perfeito para uma aula de arquitetura. Notre-Dame é um exemplo clássico do estilo gótico, com colunas delgadas, graciosas, subindo a um teto abobadado de Cruz alto. A sua planta se assemelha a uma cruz enorme, com o altar no cruzamento, várias pequenas capelas dedicadas a vários santos em torno das bordas externas.

#4 Abadia de Westminster: Londres, Reino Unido

jankertown

Comparado a outros grandes lugares de culto, a Abadia de Westminster não é marcada por uma vibração Sagrada mística. Não é ainda a principal igreja da Inglaterra (a honra é reservada para a Catedral de Canterbury). Mas esta fascinante mistura de arquitetura gótica inglesa é um rico repositório da história britânica.

Pegue num panfleto perto da porta de modo a poder identificar todos os túmulos e memoriais.

Fundada em 1065 pelo Rei Santo Eduardo, o Confessor, esta igreja começou como uma abadia beneditina. Em 1066, foram coroados dois reis e, desde então, quase cada soberano Inglês foi coroado aqui, e muitos também estão sepultados na Abadia.

Na Abadia de Westminster também se encontram as cinzas dos escritores famosos Chaucer e Dickens e uma série de outras figuras literárias.

Certifique-se de não confundir a Abadia de Westminster com a Catedral de Westminster, uma imponente Igreja Católica à sua direita, no entanto nem de longe tão fascinante como a Abadia.

#5 Catedral dos três reis: Colónia, Alemanha

Pilar Azaña

A Catedral de Colónia é assim conhecida por, supostamente, conter os restos mortais dos três reis Magos.

Numa cidade fortemente danificada pelo bombardeamento durante a Segunda Guerra Mundial, a Catedral de Colónia sobreviveu milagrosamente.

Colónia (“Köln” em alemão) foi uma cidade romana. Em 1164, o imperador Romano Frederico Barbarossa adquiriu os ossos sagrados dos Magos e o seu santuário em Colónia que se tornou um local de peregrinação.

O lado oeste (frente) é dominado por duas altas torres, sendo esta a estrutura gótica mais alta do mundo.

A mistura medieval/vitoriano é exemplificada pelas janelas brilhando nas altas paredes laterais. Atrás do altar, na capela-mor, é o Santuário dos três Reis Magos, em forma de uma mini catedral de ouro e prata.

Entre as capelas periféricas, a Capela da Cruz, debaixo do órgão, abriga um crucifixo de madeira pintado que é a Cruz mais antiga no norte da Europa.

Visite esta catedral bonita o suficiente para sobreviver a uma guerra mundial.

#6 Catedral de León: León, Espanha

Uxio G.

Esta catedral caracteriza-se por apresentar inúmeros vitrais que ocupam 1.672 metros quadrados, ou seja, quase todo o espaço onde poderíamos esperar ter paredes. É um feito maravilhoso de engenharia que faz com que o interior da catedral brilhe com inúmeras cores.

Um ar de calma preenche os claustros da Catedral.

A poucos passos da Catedral pode visitar uma igreja românica esplendidamente decorada, Pantéon y Museos de San Isidoro, Plaza San Isidoro 4, que contém os túmulos dos 23 Reis leoneses.

À volta destas duas igrejas encontra-se o centro histórico de León que também vale a pena explorar.

No entanto, nada se compara à Catedral de Léon. Perante as suas janelas gloriosas e coloridas, tudo na cidade literalmente empalidece.

#7 Igreja da Sagrada Família: Barcelona, Espanha

joaoleitao

A igreja mais exuberante que todas as pessoas que vão a Barcelona se lembram é, sem dúvida, a Igreja da Sagrada Família.

Iniciada em 1882 e incompleta com a morte do arquiteto em 1926, esta estrutura amorfa, lânguida encarna a essência do estilo de assinatura de Gaudí.

Figuras esculpidas parecem crescer organicamente fora dos seus portais e arcos, as rosáceas são realmente parecidas com rosas e as suas colunas com hastes de flor.

Duas fachadas foram terminadas, mas a nave central ainda está em construção.

A assinatura de Gaudi encontra-se espalhada por Barcelona. Visite as varandas onduladas da Casa Batlló e La Pedrera, com formas de vegetais e frutas esculpidas.

#8 Catedral de São Basílio: Moscovo, Rússia

jaloisiosoares

Na Praça Vermelha, praça central da cidade, podemos apreciar a Catedral de São Basílio com as suas cúpulas e torres exóticas.

A Catedral de São Basílio é essencialmente uma União de nove diferentes igrejas bizantinas, coberta com nove coberturas distintas, dispostas numa estrela de oito pontas, um símbolo importante na iconografia cristã medieval.

Este estilo de arquitetura tipo “tenda” é um estilo tipicamente Russo. Note que as oito cúpulas menores são em forma de cebola, uma silhueta comum em igrejas ortodoxas, agrupadas em torno de um pináculo central unificador.

São Basílio — em Russo, Khram Vasiliya Blazhennogo — foi originalmente construído para homenagear a vitória da Rússia sobre tártaros mongóis em 1555.

No interior, a Catedral tem um caráter muito mais sisudo do que seria de esperar.

Das janelas no piso superior, terá uma visão ampla do Rio Moscovo.

#9 O Templo Dourado: Amritsar, Punjab, Índia

celiocardoso

No norte da cidade de Amritsar repousa o mais deslumbrante local sagrado da Índia, o Templo Dourado, começado em 1574, mas constantemente embelezado e adornado ao longo dos anos.

Não é apenas um marco arquitetônico, mas é também o mais sagrado dos Santos para a religião Sikh, uma fé que ativamente prega a unidade e igualdade entre todas as religiões.

Os visitantes são convidados a partilhar a experiência do templo. Antes de entrar deve deixar os sapatos na entrada, cobrir a cabeça, lavar os pés na piscina rasa e preparar-se para uma visão muito comovente.

O coração do complexo, o Hari Mandir (Templo Divino) é um edifício com cúpulas de cobre e paredes de mármore banhado a ouro que quase parece flutuar, serenamente, na piscina de água circundante.

A maioria dos Sikhs da Índia vive em Punjab. Para obter mais informações sobre esta fé, pode parar no Museu Central Sikh na entrada principal, mas esteja preparado: existem alguns retratos gráficos dos gurus sendo torturado e executado em terríveis formas.

A melhor época para visitar é durante a noite para a Rafaela Sahib ou cerimónia da noite, quando o livro sagrado é transportado num palanquim do Hari Mandir para o lugar sagrado onde repousa durante a noite.

1 COMENTÁRIO

  1. Eu adoro as maravilhas naturais do meu Planeta e tudo faço para que homens sem escrúpulos não destruam o que foi criado com muito amor. Amo o meu passado cultural, não só o do meu país mas de todos os países que apresentem verdadeiras maravilhas naturais ou edificadas e estas Igrejas são do mais belo que existe no nosso Mundo e por isso temos o dever de as contemplarmos e preservarmos como uma herança de valor incalculável que os nossos antepassados deixaram para que os seus descendentes pudessem admirar e agradecer obras tão maravilhosas, como estas. As Catedrais apresentadas transportam, desde o início da sua construção, uma cultura que tem que ser preservada, porque é esta cultura que estas belezas transportam dentro de si, principalmente as edificadas, que nos identificam no mundo global em que vivemos. São as nossas raízes, donde iniciámos o nosso crescimento como pessoas e serão o nosso bilhete de identidade que, durante toda a vida, nos permite ir a qualquer lugar da Terra, porque os nossos irmãos sabem quem somos, porque transportamos a marca cultural da aldeia. da vila, da cidade, do país, onde nascemos, crescemos e nos habituámos a amar o que é belo e faz parte de nós.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here