Britânicos revelam as razões que explicam a invasão de turistas em Portugal

Roberto Saltori / Flickr

Ponte D.Luís sobre o Rio Douro, no Porto, ao por do sol

“Toda a gente parece estar a ir para Portugal” neste momento. A constatação é do jornal britânico The Telegraph, que destaca os recordes de turismo registados pelo nosso país, nos últimos tempos, apresentando 22 explicações para o facto de isso estar a acontecer.

Num artigo na secção de viagens do The Telegraph, exalta-se o sucesso de Portugal em termos turísticos, realçando-se que o país tem batido todos os recordes de visitas.

Mais de 7,1 milhões de visitantes estrangeiros ficaram em hotéis portugueses nos primeiros sete meses de 2017″, repara o jornal, lembrando, ainda, que Portugal venceu o chamado Óscar do Turismo como o melhor destino da Europa, nos Prémios World Travel.

E afinal, o que é que explica estes dados? O jornal avança 22 razões para este afluxo de turistas, a começar pelo “charme secular de Lisboa”, cidade descrita como “um conto de fadas latino”, com os eléctricos centenários, os funiculares de ferro que atravessam a cidade e as “ruas barrocas”.

Outro motivo apresentado é o “bonito Porto”, fruto do seu tom medieval, das Igrejas magnificentes, da “sofisticação desbotada” do centro da cidade e dos subúrbios “renascidos” com bares, restaurantes e cafés que ilustram na perfeição a vida local.

O Vinho do Porto é outra das justificações apresentadas. O The Telegraph aponta que está “omnipresente em todo o país” e que há alternativas para todos os bolsos, desde “garrafas velhas e poeirentas que valem até 1000 libras, a vintages mais acessíveis”.

Os pastéis de nata e as casas de fado estão obviamente na lista que inclui, ainda, os martelos da noite de S. João, habituais em cidades como Porto e Braga.

As “cidades secretas” de Portugal, como Guimarães, Tavira e Sintra, e a abundância de “hotéis opulentos” a preços “refrescantemente acessíveis”, são outros dos motivos que trazem os turistas a Portugal.

Sem surpresas, o clima soalheiro do nosso país é também destacado, com a nota de que “Lisboa é a capital mais ensolarada” do continente europeu. E Portugal tem também “extraordinárias” praias e as ondas que o tornam “num dos melhores destinos da Europa para fazer surf”.

A Madeira, pela comida, o vinho e as paisagens, e o arquipélago dos Açores, descrito pelo Telegraph como “o Hawai do Atlântico“, são outros motivos que justificam a atracção por Portugal.

O rio Douro, “o rio mais subestimado da Europa”, diz o diário, embora não desperte o imaginário do Sena ou do Tamisa, é um dos mais bonitos da Europa, “à medida que serpenteia através de vinhedos, aldeias bucólicas e do Porto, onde é atravessado pela icónica ponte de ferro da cidade”.

Outros motivos em destaque são a ponte Vasco da Gama, em Lisboa, a famosa pedreira do Estádio Municipal de Braga, e a Livraria Lello, no Porto, onde a escritora J.K. Rowling, conhecida pela autoria dos livros de Harry Potter, se inspirou para “criar” a Biblioteca de Hogwarts nos seus livros.

A Capela dos Ossos, em Évora, também surge na lista do Telegraph, a par do complexo de piscinas de água salgada Leça da Palmeira, em Matosinhos, – “uma das melhores piscinas da Europa”, refere o jornal, notando que foi projectada pelo arquitecto Siza Vieira.

A Fundação de Serralves, no Porto, também justifica uma visita a Portugal, sendo “o museu mais visitado do país e um dos museus de arte contemporânea mais influentes da Europa”. A vida nocturna, desde Lisboa e Porto até ao Algarve, é outra razão avançada.

E tudo isto, a preços acessíveis, já que Portugal é “um dos destinos mais em conta” do Velho Continente, oferecendo “a elegância da Europa ocidental a preços da Europa de Leste”, conclui o jornal britânico.

SV, ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here