British Airways já opera em Gatwick mas persistem cancelamentos em Heathrow

danielmennerich / Flickr

Avião Boeing 747-400 da British Airways estacionado no aeroporto de Heathrow, Londres

A companhia aérea britânica British Airways (BA) opera hoje, embora com alguns atrasos, todos os seus voos desde o aeroporto de Gatwick, ao sul de Londres, e parte do serviço em Heathrow (oeste), onde persistem as cancelamentos de rotas curtas.

Em comunicado, o diretor executivo da companhia aérea, o espanhol Alex Cruz, aponta que têm sido feito “bons progressos” para restabelecer o sistema operativo, depois de no sábado um erro informático ter causado o cancelamento do seu programa de voos e o caos em aeroportos de todo o mundo.

A British Airways afirma no seu comunicado que prevê fretar hoje todas as suas rotas desde Gatwick e as de longa distância desde Heathrow, bem como “uma alta proporção” dos voos curtos desde este aeroporto, embora prevê cancelamentos pelo “efeito dominó” da caída do sistema.

A companhia aérea pede aos passageiros que não se desloquem para os aeroportos caso não tiverem uma reserva confirmada e souberem que o seu voo está operativo, e aconselha que se informem através da página web e as redes sociais, pois o serviço telefónico também se viu afetado pelo erro do sistema.

Cruz atribuiu esse erro sem precedentes a um “problema do fornecimento elétrico”, mas o sindicato GMB acredita que o assunto “poderia ter-se evitado” caso a companhia aérea não tivesse subcontratado à Índia numerosos empregos do departamento de informática.

Apesar dos avanços feitos no restabelecimento do programa de voo, alguns passageiros tiveram que passar a noite no aeroporto de Heathrow, e muitos dos que conseguiram descolar não tiveram a sua bagagem ao chegar ao destino.

Cruz pediu desculpas ontem num vídeo pela “horrível” experiência que os seus clientes tiveram que suportar, e prometeu agilizar os reembolsos e a mudança das reservas, que poderá fazer-se até finais de novembro.

Quanto às bagagens extraviadas, Cruz apontou que a British Airways irá enviá-las aos passageiros o mais rápido possível por mensageiro.

Por causa do incidente, a British Airways, integrada no grupo hispano-britânico IAG, enfrenta uma elevada fatura por reclamações de clientes, tanto pelos atrasos e as cancelamentos como pelo custo do alojamento e comida que está obrigado a facilitar aos passageiros prejudicados.

O impacto deste grave erro informático vai-se seguramente notar nos resultados financeiros semestrais que o grupo IAG vai anunciar em julho, no qual se integram também as espanholas Iberia e Vueling e a irlandesa Aer Lingus.

// EFE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here