Gosta de história e civilizações antigas? Veja aqui 6 locais com história a visitar!

cardbush

Se gosta de visitar locais com história e aprender um pouco mais sobre algumas civilizações antigas, veja aqui algumas sugestões de locais históricos pelo a mundo que valem a pena visitar.

[toc]

#1 As pirâmides de Gizé: Gizé, Cairo, Egito

HD Turismo

Existem outras pirâmides espalhadas por todo o norte do Egito, mas nada se compara com as pirâmides de Gizé. Este trio de túmulos foi um das originais sete maravilhas do mundo.

Estas pirâmides foram construídas para três Faraós da quarta dinastia (cerca de 27 a.C.). A grande pirâmide é a de Quéops, a segunda, ligeiramente menor, é a pirâmide de Quéfren e a terceira pirâmide muito menor é a de Miquerinos.

Só a grande pirâmide é constituída por cerca de 2.300.000 pedras, pesando em média cerca de 2,5 toneladas cada uma, e atinge de momento uma altura de cerca de 137,16 m.

Os quatro lados enfrentam quase perfeitamente os pontos da bússola. Originalmente as fachadas da pirâmide grande e da segunda maior foram cobertas por calcário branco polido, no entanto as suas fachadas hoje são irregulares devido a séculos de roubo. A fachada da terceira pirâmide foi polida com granito vermelho.

O eterno quebra-cabeças, é claro, como é que elas foram erguidas, dada a tecnologia primitiva disponível.

A 19 km do Aeroporto do Cairo, estas pirâmides são uma das sete maravilhas do mundo a não perder.

#2 Knossos: Heraklion, Creta, Grécia

ljgunn

Apesar de hoje fazer parte da Grécia moderna, a ilha de Creta há muito tempo foi lar da sua própria poderosa civilização minóica, nomeada após o famoso rei Minos.

Na mitologia grega, o Palácio do Rei Minos em Knossos era notório pelo seu labirinto, desenhado pelo Daedalus engenhoso e contendo um grotesco monstro, o Minotauro. Metade touro e metade homem, o Minotauro devorava jovens vítimas propositadamente perdidas no labirinto. Finalmente, o herói Teseu navegando no labirinto com segurança (com a ajuda da filha do Minos, Ariadne) matou o Minotauro.

Para punir o Daedalus por revelar o segredo a Ariadne, Minos aprisionou Dédalo e seu filho Ícaro no labirinto. Dédalo construiu asas para voar para fora, mas o Ícaro, como qualquer adolescente imprudente, voou demasiado perto do sol, derreteu as asas e caiu morto.

É um mito particularmente vivo para os jovens, e andar em torno das ruínas de Knossos, vai senti-lo certamente.

Chegando em Heraklion, cidade de entrada de Creta, visite as antiguidades de Minoan que se encontram no Museu Arqueológico. Esses artefatos cobrem todas as fases da história de Creta, do primeiro povoado (cerca de 6000 a.C.) até o surgimento de uma distintiva cultura minóica (2500 a.C.), a intrusão de gregos micênicos (1500 a.C.), ocupação romana (a partir de 67 a.C.) e a conquista pelos venezianos no século 13. Os afrescos originais de Knossos são mantidos aqui para preservação.

Cerca de 5 km ao sul de Heraklion, o Palácio de Knossos é um dos grandes locais arqueológicos do mundo, o resto de não um mas dois grandes palácios de cerca de 1250 a.C. Este não era apenas uma residência real, mas também um centro de cerimonial religioso do chefe dos minóicos, bem como a sua sede administrativa.

Até que o arqueólogo Arthur Evans começou as escavações em 1900, pouco era conhecido sobre os minóicos, mas a riqueza dos artefactos encontrados permitiu os arqueólogos reconstruir praticamente toda uma cultura.

#3 O Coliseu: Roma, Itália

Flávio Cruvinel Brandão

O Coliseu é uma das construções mais interessantes de todos os tempos. Com uma história controversa, palco de lutas de gladiadores sangrentos ainda permanece um grande local turístico para os amantes de história de todo o mundo. É um dos lugares mais visitados em Roma, Itália.

Talvez nenhuma ruína romana clássica evoque os excessos do império tardio, como o Coliseu. No ano 80 d.C. o evento de abertura nesta arena elíptica de 50.000 lugares foi um combate sangrento de semanas de duração, entre gladiadores e animais selvagens. Grandes eventos como corridas de bigas foram realizados no Circus Maximus, mas hoje é um amontoado de ruínas.

O nome Coliseu pensa-se vir de uma colossal estátua de Nero, que se situava nas proximidades. À estátua foi dado um significado diferente, pelos sucessores de Nero e tornou-se uma estátua em homenagem a Helios ou Apolo. A cabeça da estátua, representativa de Nero foi substituída várias vezes com as cabeças dos imperadores que o sucederam.

O nome Coliseu tornou-se sinónimo de anfiteatro. O anfiteatro elíptico ainda é considerado uma maravilha da engenharia e arquitetura, e permanece, não apenas um símbolo da Roma Imperial, mas um dos monumentos arqueológicos mais conhecidos na Terra.

Uma vez dentro do Coliseu, veja o anel central onde os lutadores conheceram a glória ou uma morte sangrenta. Nos compartimentos de baixo, elefantes, leões e animais selvagens esperaram para serem içados para o chão da arena.

#4 Massada: Israel

Sypsi

Massada é um dos lugares mais emocionantes de Israel e relata uma história de perseverança e poder, fé e entrega, ambições e um final trágico. Massada é um lugar onde as batalhas foram travadas com pedras e flechas flamejantes, bem como batalhas do espírito humano.

Situa-se no topo de uma montanha com lados íngremes e um topo plano, como um parapeito com vista para o panorama deserto a oeste e o mar morto, a leste. A história emocionante do local revela a coragem dos defensores de Massada e a sua batalha contra os conquistadores romanos.

A história começa com o rei Herodes, que construiu uma fortaleza e o magnífico palácio, no topo deste planalto deserto quase inacessível na costa ocidental do mar morto, cerca de 30 a.C.

No início da grande revolta contra Roma, no ano 68 a.C., o local foi conquistado por um grupo de judeus fanáticos e Massada tornou-se no seu último reduto. No ano de 72, romanos sitiaram Massada e chegaram à fortaleza íngreme depois de construir uma rampa de barro enorme na parte ocidental. No ano de 73, 960 judeus zelotes que viviam no topo de Massada escolheram para cometer suicídio, em vez de cair nas mãos dos romanos vivos. Deixaram uma saga de coragem, heroísmo e martírio.

Os restos da Fortaleza de Massada estão bem preservados e foram reconstruídos num esforço de homenagear o local e os seus habitantes heroicos.

A estrutura mais impressionante é o Palácio do Rei Herodes, construído sobre três terraços de rocha com vista para o desfiladeiro.

Perto do Palácio há uma casa de banho de estilo romano com um piso de mosaico colorido e paredes decoradas com pinturas murais.

Muitos outros edifícios no local, como o luxuoso palácio ocidental, o mikveh (banho ritual judaico), depósitos e torres de vigia referem-se à história de Massada.

Do Parque de estacionamento ao pé do Monte, existem tem três escolhas — passeio de teleférico que o transporta quase até o cume, pode subir o caminho sinuoso do lado do mar morto, que tem excelentes vistas, mas pode demorar até uma hora, ou uma caminhada até a rampa grande dos romanos, que leva apenas 15 a 30 minutos de carro.

Se fizer a subida nos meses de verão, certifique-se de começar ao amanhecer pois o calor é insuportável ao meio-dia.

Uma visita a Massada é uma experiência emocionante e excitante. A história arrepiante e os restos arqueológicos contribuem para a atmosfera especial do local. Em 2001, a UNESCO declarou Massada Património Mundial.

#5 Ephesus: perto de Selçuk, Turquia

craftykat

Ephesus é considerado um dos grandes museus exteriores da Turquia. Está localizado no sul do Condado de Selcuk de Izmir. Foi um importante centro cristão. Maria, mãe de Jesus, viveu aqui após a sua morte, acompanhada por São João. A sua casa, agora uma igreja, localiza-se a sudoeste em Meryemana.

É uma das mais bem preservadas cidades antigas do Mediterrâneo. Construída nas encostas do Panayir Dagi, apresenta apenas 1,6 km mas demora cerca de 2 ou 3 horas para o visitar.

Entre no Portão de Magnésia, no topo da colina, e percorrerá primeiro a parte oficial da cidade. Verá templos, monumentos e fontes, uma Câmara Municipal e a Odeon, uma estrutura semi-circular onde foi o Conselho de governo.

No caminho para o Templo de Adriano, vai passar pelo portão de Hércules e pela Fonte de Trajano. Vai ver a biblioteca de Ephesus. Visite o Templo de Artemis considerado uma das sete maravilhas do mundo antigo.

Certifique-se de deixar tempo suficiente para ver alguns pontos turísticos em Selçuk, a cidade mais próxima (cerca de 3km) onde provavelmente ficará hospedado.

#6 Parque nacional de Tikal: perto de Flores, Guatemala

blaseur

Situado na exuberante floresta subtropical, a 64km de Flores, as ruínas maias de Tikal são o ás no baralho de turista da Guatemala.

Uma vez governado por uma dinastia conhecida como os senhores do clã de Jaguar, este templo complexo é um fascinante olhar para o coração de uma cultura antiga.

Os antigos maias não existiam apenas no México — na verdade, alguns historiadores acreditam que o centro da civilização maia foi aqui na selva de El Petén, de cerca de 600 a.C. a 900 d.C..

Abrangendo 16 km, o complexo de Tikal foi o centro cerimonial de uma cidade de 100 mil pessoas, que se reuniam nas suas praças para ritos religiosos, muitas vezes incluindo sacrifícios humanos.

Estas pirâmides têm nomes, como o Templo das máscaras, o Templo do sacerdote Jaguar e o Templo da serpente Double-Headed, que apresenta em 65m, tendo sido o edifício mais alto na América do Norte até o final do século XIX.

Os exteriores das pirâmides são enormes, com amplas e íngremes escadarias cerimoniais, mas por dentro são apenas pequenas câmaras para fins cerimoniais. Em eventos públicos, reis e nobres sentavam-se no topo das pirâmides. A acústica é tão perfeita que podemos falar em num tom normal num templo que se ouvia perfeitamente mo lado oposto.

A secção de ruínas conhecida como o Mundo Perdido, ou a Cidade Perdida, parece ter sido construída para cerimónias baseadas no calendário dos maias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here