As “Maldivas da Sibéria” são repletas de lixo tóxico, mas os instagrammers não arredam pé

Uma empresa russa de energia alertou os utilizadores do Instagram para não nadarem num lago azul turquesa, vulgarmente conhecido “Maldivas da Sibéria”, por este ser um depósito de cinzas repleto de óxidos de metais nocivos.

O lago fica perto da Siberian Generating Company e a sua cor azulada deve-se às cinzas  produzidas pela fábrica que se acumulam no fundo do lago.

Apesar do aviso da empresa, noticia o diário britânico The Guardian, o lago artificial – que contém sais de cálcio perigosos, bem como outros óxidos metálicos – continua a ser um local popular para selfies, festas de casamento e sessões fotográficas em fato de banho.

“Na semana passada, o nosso depósito de cinzas transformou-se numa celebridade nas redes sociais”, revelou empresa de energia.

Apesar da crescente procura pelo local, a empresa desaconselha a ingestão de água, dando conta que o contacto da pele com a água pode causar reações alérgicas.

Nas redes sociais, as fotografias parecem multiplicar-se, havendo algumas junto aos montes de cinza. Um fotografo citado pelo Siberian Times disse que a água tem o cheiro de “detergente da roupa”. O pH da água é, segundo a empresa, superior a 8.

As cinzas são produzidas na maior central térmica da Sibéria, que fornece energia para a cidade de Novosibirsk, e resultam da queima de carvão. “Caminhar pelo depósito de cinzas é como caminhar num campo de fuzilamento: é perigoso e indesejável”, disse a empresa.

“Pedimos encarecidamente àqueles que  andam à procura de tirar selfies não caiam no depósito de cinzas. É um risco muitíssimo grande“, pode ler-se no mesmo comunicado.

O alerta, contudo, parece ter tido o efeito contrário, levando mais pessoas até à região. Nas redes sociais há quem afirme que a empresa conseguiu fechar algumas empresas que dão acesso ao lago devido ao grande fluxo de pessoas.

ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here