Greve dos pilotos da TAP pode custar 70 milhões

Comparsa Fotografia / Flickr

-

A TAP manifestou-se hoje surpreendida com a decisão do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) de uma greve de 10 dias, a começar a 1 de maio, e o “impacto brutal” que esta poderá impor à companhia, calculando um prejuízo superior a 70 milhões de euros.

“A TAP tem estado sempre em negociações, nunca abandonou a mesa das negociações e foi surpreendida com a decisão do Sindicato dos Pilotos de aprovar uma greve de 10 dias, com início a 1 de maio deste ano”, disse à agência Lusa fonte oficial da transportadora aérea, lembrando que foi informada da decisão, mas que ainda não recebeu qualquer pré-aviso.

A paralisação foi decidida numa assembleia do SPAC, que contou com a participação de cerca de 500 pilotos da TAP, que mandataram a direção do sindicato para emitir um pré-aviso de greve dentro de um dia.

De acordo com a empresa, uma eventual greve de 10 dias terá “um impacto brutal” para a TAP, avaliada em pelo menos 70 milhões de euros, a que acrescem valores “não quantificáveis”, que têm a ver com a “confiança do mercado, montante que não é quantificável”, destacou a mesma fonte.

A empresa considera que a posição assumida pelo Sindicato dos Pilotos “é altamente lesiva para a TAP e para a Economia portuguesa e vem ao arrepio do que estava acordado” com o sindicato dos pilotos.

A transportadora aérea manifesta a esperança de que “o bom senso” pervaleça nesta questão da greve, em relação à posição assumida pelo sindicato.

O ministro da Economia, António Pires de Lima, afirmou também estar “surpreendido com a greve” dos pilotos da TAP, que considerou inexplicável, e apelou ao sindicato para reconsiderar a decisão.

“É evidente que estou surpreendido. Não esperávamos esta posição do sindicato dos pilotos, que contraria aquilo que foi escrito e assinado pelos representantes dos sindicatos dos pilotos na última semana de 2014”, afirmou, em declarações no programa Grande Entrevista, da RTP Informação.

/Lusa

1 COMENTÁRIO

  1. Série selvagem… Depois de Agosto.14 e chantagem de Natal.14 aí está: 10 DIAS de greve reacionária…
    O que os move é a mesma cenoura qdo o portador era Carvalho da Silva à frente da CGTP!

  2. Depois de 5 anos com lucros, o último ano foi o desastre anunciado.
    Série selvagem… Depois de Agosto.14 e chantagem de Natal.14 aí está: 10 DIAS de greve reacionária…
    “‘Independentes”, o que os move é a mesma cenoura qdo o portador era Carvalho da Silva à frente da CGTP!
    Um miminho de esquerda caviar:
    http://spac.pt/destaques/vantagens-mercedes

  3. Os portugueses que paguem os prejuízos. É que quando há prejuízo a TAP é dos Portugueses. No que toca a “direitos” a TAP é dos pilotos. Para além dos direitos 20% é deles…

    • Como dizia um homem da lavra: “Privatizem aquela merda mas não acabem com as vantagens-mercedes!!! Assim, todos ficam a saber com o que podem contar nos picos de actividade: Agosto e Dezembro (não sendo TAP a certeza é maior)

      Esquecem-se que a Suissair se foi! Estes meninos não sabem que o dinheiro dos contribuintes não é para financiar este tipo de actividade? Não sabem que as frotas têm que ser renovadas? E já detêm têm 20% em participações?

  4. Como diria um célebre jornalista “Mais comentários para quê ?” . A mim, neste momento em que está tudo a saque, só me ocorre dizer: – “VOLTA SALAZAR ESTÁS PERDOADO”

  5. O comunismo e o socialismo democrático minaram o espectável de 25 de Abril – Colossal património de uns e fortunas colossais de outros com 3 resgates do FMI pelo meio – os mesmos de sempre- Bancos e obras colossais de regime (3 autoestradas para o Porto, túnel do Marão, etc), Jogos de informação privilegiada, lobies ou instrumentalização na maioria dos sectores (Gás, electricidade, farmacêutico, médicos, professores, sist.Nac.Saúde, Justiça-gab.Advogados, Auxiliares de serviço de saúde, das escolas, transportes aéreo, Portuário, ferroviário, metro, carris, barcos… E foi quase: Novas pontes, Aeroportos (beja concluído) T G V, ror de barragens… Investimento público, sem retorno e à fartazana!

    Tão pouco o estado (contribuintes) pode injectar dinheiros em empresas comerciais. A começar pelos Canais de rádio e tv (ajudam à intoxicação) TAP e outras, entregue-se à iniciativa privada tudo, incluindo parte das de serv.público e deixemo-nos de madalenas…
    É claro que não pode ser com o modelo PPPês de Sócrates: Risco Zero e rendimento garantido por 15, 20, 30 anos a fio…
    Tachos alimentados pelo povo de uma pirâmide demográfica há muito invertida!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here