Noites grátis, 3.000 dólares se for infetado e vouchers. Há países a tentar atrair turistas em tempos de pandemia

O turismo foi um dos setores mais afetados pela pandemia. A chegada dos visitantes está a ser prejudicada e há países a tentar atrair turistas.

Desde que o mundo se fechou em casa, em março, muitas pessoas começaram a fazer uma lista mental de todos os lugares que querem visitar quando recuperarem a total liberdade no pós-pandemia.

Agora que as fronteiras estão a reabrir e as restrições estão a ser levantadas, a perspetiva de viajar tornou-se real, outra vez.

O impacto da covid-19 no setor do turismo revelou a importância deste para a economia mundial. Este verão, o número de viajantes é o mais baixo de sempre, pelo que há países a recorrer a ofertas para tentar atrair os que se atrevem a viajar.

De acordo com a CNN, a região caribenha do México lançou um programa de 2×1: por cada duas noites num hotel, o turista terá direito a duas noites grátis ou por cada dois dias de carro alugado, terá direito a outros dois.

Já a Sicília tem ao dispor um programa de vouchers para apoiar o turismo local, uma medida na qual prevê gastar cerca de 84 milhões de dólares. Segundo o Insider, a ilha italiana anunciou o pagamento de metade dos custos dos voos e um terço das despesas com hotéis aos visitantes.

No caso do Chipre, a oferta é um pouco diferente, uma vez que se aplica aos visitantes que fiquem infetados com o novo coronavírus. Neste caso, conforme realça o DN, alojamento, alimentação e cuidados de saúde estarão a cargo do país. Da mesma forma, o Usbequistão garante uma indemnização de três mil dólares a quem ficar doente.

A Islândia, à semelhança da Madeira, oferece testes grátis a todos os que chegam. Se o turista testar positivo, terá que ficar 14 dias em quarentena.

Já a Grécia apostou no corte dos impostos sobre o setor dos transportes. Na prática, tal medida deve significar uma diminuição dos preços dos voos para o país.

ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here