Cidade-fantasma no Chipre pode reabrir pela primeira vez desde 1974

O norte de Chipre afirmou que vai reabrir em breve o distrito abandonado de Varosha, um resort turístico popular que permaneceu como uma cidade-fantasma desde a invasão militar turca há décadas.

De acordo com a CNN, a ilha mediterrânea do Chipre foi dividida em duas em 1974 quando um golpe apoiado pelo Governo grego encontrou-se com uma invasão militar turca, dividindo o país entre o norte cipriota turco e o sul cipriota grego.

Durante anos, a outrora popular estância de Varosha, um bairro abandonado da antiga cidade de Famagusta, foi uma terra de ninguém entre o norte e o sul.

A entrada na área, que antes atraía visitantes de todo o mundo, continua proibida ao público desde então.

Agora, Ersin Tatar, primeiro-ministro da autodeclarada República Turca do Norte de Chipre (TRNC), anunciou planos para reabrir a cidade, que então contava com mais de 12 mil quartos de hotel e abrigava 25 mil residentes. “Nesta altura, estamos perto de iniciar o processo de reabertura”, disse Tatar na sexta-feira, de acordo com a emissora estatal turca TRT.

Tatar disse que as regulamentações precisam de ser aprovadas e que, com as eleições a aproximar-se, os planos podem ser adiados. Porém, o primeiro-ministro mantém-se otimista. “Está tudo pronto na minha opinião. A maré mudou e uma nova página foi virada”, disse.

Referindo-se ao distrito pelo nome turco, Tatar disse: “Maraş está dentro do território do TRNC. Ninguém pode tirá-lo de nós. Continuamos no nosso caminho do sucesso.”

Tatr não deu uma data para a reabertura da cidade.

Os cipriotas gregos vivem principalmente no sul da ilha, uma república que faz parte da União Europeia e é reconhecida por todos os países do mundo, exceto a Turquia. Reconhecido apenas pela Turquia, o TRNC é considerado pelas Nações Unidas como parte da República de Chipre.

O exército turco mantém uma grande força no norte de Chipre. Embora a sua presença seja apoiada e aprovada pelo governo TRNC, é considerada uma força ocupacional pela República de Chipre, pela União Europeia como um todo e pela comunidade internacional. O TRNC foi denunciado em várias resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Desde que a Turquia invadiu ilegalmente o norte de Chipre, dezenas de milhares de colonizadores turcos mudaram-se da Turquia para a ilha e a maioria vive em casas que antes pertenciam a cipriotas gregos.

As negociações sobre a unificação entre os dois lados nos últimos anos não tiveram nenhum progresso significativo e as tensões têm aumentado na região devido às tentativas da Turquia de roubar os direitos de exploração de hidrocarbonetos na costa da ilha.

ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here