Luxemburgo dá vales de 50 euros a residentes para utilizarem em hotéis no país

O Governo luxemburguês vai dar vales de 50 euros aos mais de 600 mil residentes e trabalhadores fronteiriços, para serem usados em estadias em hotéis no país, anunciou na quarta-feira o ministro das Finanças, Pierre Gramegna.

“Queremos apoiar o turismo, atribuindo um vale de 50 euros a todas as pessoas com mais de 16 anos residentes no Luxemburgo, e também a todos os fronteiriços que trabalham aqui”, explicou o ministro, durante uma conferência de imprensa para apresentar um pacote de medidas destinado a relançar a economia luxemburguesa, após a pandemia da covid-19, segundo noticiou a agência Lusa.

O objetivo da medida é “apoiar os hotéis e estruturas de alojamento no Luxemburgo”, permitindo aos residentes e trabalhadores fronteiriços “conhecer melhor o país”, disse Gramegna, que lamentou os efeitos do fecho das fronteiras, instaurado durante várias semanas, no turismo e na economia nacional.

“Daqui a um ano, celebraremos o 25.º aniversário do acordo de Schengen, e é triste ver até que ponto as fronteiras foram fechadas na Europa. No Luxemburgo, vemos muito bem quais são as consequências para um país quando as fronteiras estão fechadas”, declarou.

O Governo do Luxemburgo anunciou na quarta-feira um pacote de medidas suplementares para fazer face aos efeitos económicos da pandemia do novo coronavírus no país.

Com um custo orçamental previsto de 700 a 800 milhões de euros, o pacote eleva para três mil milhões de euros as despesas diretas do Estado para apoiar a economia, o que corresponde a cerca de 5% do Produto Interno Bruto (PIB) daquele país, de acordo com o ministro das Finanças luxemburguês.

Entre as medidas está o congelamento do valor das rendas até final do ano, no caso do arrendamento habitacional, e a criação de estímulos fiscais ao arrendamento comercial, estimulando a redução do valor das rendas. O Governo também anunciou que vai duplicar o valor do “subsídio de vida cara”, destinado a pessoas com baixos rendimentos.

O Grão-Ducado, que faz fronteira com a França, Alemanha e Bélgica, tem cerca de 625 mil habitantes, mas todos os dias recebe 200 mil trabalhadores dos países vizinhos. Desde o início da pandemia, o Luxemburgo registou 109 mortos por covid-19 e 3.971 casos de infeção confirmados.

A nível global, segundo um balanço da agência AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 327 mil mortos e infetou quase cinco milhões de pessoas em 196 países e territórios. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Lusa //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here