Amesterdão convida turistas a “casar” com um local durante um dia. A lua de mel é na cidade

Os turistas que visitam a capital holandesa estão a ser convidados a “casar” com habitantes locais, durante um dia. O objetivo é melhorar as relações entre moradores e visitantes e combater os efeitos negativos do excesso de turismo.

Como forma de descentralizar o turismo e criar nos turistas o sentimento de “pertença” ao local, a cidade lançou a iniciativa “Untourist Amsterdam”, que oferece aos turistas várias atividades para descobrir a cidade de uma forma diferente.

Uma das atividades é a “Marry An Amsterdammer”, onde um habitante local e um visitante são conduzidos a uma cerimónia de casamento, com direito a alianças e roupas adequadas. A cerimónia dura cerca de 35 minutos e a “lua de mel” passada a explorar lugares menos conhecidos da cidade. O casamento é apenas simbólico e sem vinculo jurídico.

Outras atividades peculiares incluem o “namoro de ervas daninhas”, em que um visitante encontra um habitante local para se conhecerem enquanto arrancam ervas daninhas numa quinta urbana ou caminhar com um habitante idoso pelo parque, entre outras.

“A ideia é que os turistas não apenas se alimentem da cidade, mas também possam construir uma conexão com as pessoas que cá moram”, disse Jona Rens, fundadora da Wed and Walk, a capela no distrito De Pijp, em Amesterdão, ao The Guardian.

“O turismo pode ser muito mais do que tirar uma selfie nos canais”, afirmou Nico Mulder, da amsterdam & partners. “Não estou dizendo que mais ninguém vá ao Museu de Van Gogh ou à Casa de Anne Frank, mas é muito positivo ver mais turistas e cidadãos de Amesterdão como um só, em vez de se oporem uns aos outros.”

No ano passado, cerca de 21 milhões de pessoas visitaram Amesterdão. Tentativas de lidar com esses números resultaram em campanhas como Enjoy e Respect, lançadas em junho de 2018, distribuindo multas altas por incómodos, como lixo e urinar em público.

ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here