Quem andar de montanha russa no Japão não pode gritar (nem bater palmas)

A Associação de Parques Temáticos do Leste e Oeste do Japão divulgou um novo guia de recomendações, numa altura em que o país começa a reabrir face à redução do número de novos casos de infeção pelo novo coronavírus. No entanto, há diretrizes insólitas a surpreender os visitantes.

Os parques de diversão do Japão estão a começar a reabrir, depois de terem estado vários meses encerrados na sequência da pandemia de covid-19. Na lista que os operadores dos parques estão a desenvolver, para garantir a segurança dos funcionários e dos visitantes, há uma regra especial que está a causar algum espanto: não se pode gritar.

Segundo a CNN, além da diretriz mais insólita do plano, há outras recomendações que já eram esperadas, como a desinfeção regular dos espaços, a medição da temperatura corporal e o uso de máscara.

No entanto, este estranho pedido está a causar alguma admiração, uma vez que uma das atrações mais procuradas neste tipo de parques de divertimento são as montanhas russas, onde, agora, as pessoas estão proibidas de gritar ou bater palmas.

Em relação aos artistas, cujo trabalho dificulta a utilização de uma máscraa de proteção, as diretrizes aconselham a manter uma distância de, pelo menos, um metro dos visitantes. O atendimento ao público também vai sofrer alterações, com ordens para os funcionários manterem apenas as conversas essenciais e o mais curtas possíveis.

“Face a uma nova forma de atender o cliente, mesmo usando uma máscara, podem usar-se outras formas de comunicação com os visitantes, como o olhar e gestos com as mãos”, lê-se numa das sugestões citadas pela CNN.

Estas regras, emitidas pela Associação de Parques Temáticos do Leste e Oeste do Japão, englobam mais de 30 operadores de parques de diversões no país, incluindo a Oriental Land Company e a Universal Studios Japan.

ZAP //

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here