Há mais três restaurantes portugueses com estrela Michelin

José Sena Goulão /Lusa

Henrique Sá Pessoa (C) é felicitado pelo seu colega José Avillez

O restaurante Alma, em Lisboa, conquistou a segunda estrela no Guia Michelin Espanha e Portugal 2019, que atribuiu ainda uma estrela a três restaurantes nacionais, incluindo o primeiro de cozinha japonesa, foi esta quarta-feira anunciado na capital portuguesa.

O Alma, do português Henrique Sá Pessoa, que recebeu a primeira estrela na edição de 2017, alcança agora a segunda estrela (‘uma cozinha excecional, vale a pena desviar-se’), anunciou a Michelin, durante a cerimónia de apresentação do guia ibérico de 2019, que decorre esta noite, pela primeira vez, em Lisboa.

“O Alma, situado no boémio e turístico Chiado, criou uma muito boa impressão junto dos inspetores. O ‘chef’ Henrique Sá Pessoa cativou-os com uma proposta muito técnica, divertida e repleta de matizes. Cada pedaço levou-os a viajar no tempo e no espaço, graças aos sabores tradicionais e autênticos, que transportam para paragens mediterrâneas ou de outras latitudes”, refere a Michelin, no comunicado oficial distribuído durante a gala.

Recebe ainda a primeira estrela (‘uma cozinha de grande fineza, compensa parar’) o Midori, em Sintra (‘chef’ Pedro Almeida), sendo o primeiro restaurante de cozinha japonesa em Portugal a receber uma distinção do ‘guia vermelho’, destaca a Michelin.

Em Portugal, os inspetores “encontraram pepitas de ouro gastronómicas em locais por vezes insólitos e isolados”, refere a empresa, apontando os exemplos dos outros dois restaurantes que alcançam a primeira estrela: o G Pousada, em Bragança, dos irmãos Óscar e António Gonçalves, que “valoriza a cozinha moderna da região de Trás-os-Montes”, e o restaurante A Cozinha, em Guimarães, “onde o ‘chef’ António Loureiro surpreendeu com uma cozinha moderna, que demonstra equilíbrio e sensibilidade”.

Na edição do próximo ano do Guia Michelin da Península Ibérica, Portugal passa a contar, no total, com seis restaurantes com duas estrelas e vinte com uma estrela.

Além das novidades, em 2019, Portugal mantém todas as distinções anteriores e continua a não ter nenhum restaurante com a classificação máxima (três estrelas, ‘uma cozinha única, justifica a viagem’).

Em Portugal há ainda dois novos “Bib Gourmand” (boa qualidade/preço abaixo dos 35 euros por refeição) – a Tasca do Zé Tuga (Bragança) e Avenida (Lagos).

Portugal é “destino turístico de referência”

O diretor internacional dos guias Michelin, Gwendal Poullennec, afirmou que “Portugal tornou-se num destino turístico de referência e boa parte desse êxito assenta no auge da sua gastronomia”.

“É certo que a cozinha tradicional lusa sempre contou com o beneplácito do público estrangeiro. Sem dúvida, hoje temos a confirmação de um vigoroso impulso na alta gastronomia deste país, habitualmente a cargo de uma geração de jovens ‘chef’”.

No total, Portugal contém, no guia de 2019, 167 restaurantes referenciados, dos quais 36 são Bib Gourmand e 105 estão distinguidos como Prato Michelin (‘uma cozinha de qualidade’), além dos 26 com estrelas Michelin.

Constam ainda 165 hotéis e turismos rurais.

Esta é a lista dos restaurantes portugueses distinguidos pelo Guia Michelin em 2019:

Duas estrelas **

  • Alma (Lisboa, ‘chef’ Henrique Sá Pessoa) – novidade
  • Belcanto (Lisboa, ‘chef’ José Avillez)
  • Il Gallo d’Oro (Funchal, ‘chef’ Benoît Sinthon)
  • Ocean (Alporchinhos, ‘chef’ Hans Neuner)
  • The Yeatman (Vila Nova de Gaia, ‘chef’ Ricardo Costa)
  • Vila Joya (Albufeira, ‘chef’ Dieter Koschina)

Uma estrela *

  • A Cozinha (Guimarães, ‘chef’ António Loureiro) – novidade
  • Antiqvvm (Porto, ‘chef’ Vítor Matos)
  • Bon Bon (Carvoeiro, ‘chef’ Louis Anjos; Rui Silvestre saiu no início do ano)
  • Casa de Chá da Boa Nova (Leça da Palmeira, ‘chef’ Rui Paula)
  • Eleven (Lisboa, ‘chef’ Joachim Koerper)
  • Feitoria (Lisboa, ‘chef’ João Rodrigues)
  • Fortaleza do Guincho (Cascais, ‘chef’ Gil Fernandes; Miguel Rocha Vieira saiu este mês)
  • G Pousada (Bragança, ‘chef’ Óscar Gonçalves) – novidade
  • Gusto by Heinz Beck (Almancil, ‘chef’ Daniele Pirillo)
  • Henrique Leis (Almancil, ‘chef’ Henrique Leis)
  • LAB by Sergi Arola (Sintra, ‘chef’ Sergi Arola e Vlademir Veiga – Milton Anes saiu em março)
  • L’AND Vineyards (Montemor-o-Novo, ‘chef’ Miguel Laffan)
  • Largo do Paço (Amarante, ‘chef’ Tiago Bonito)
  • Loco (Lisboa, ‘chef’ Alexandre Silva)
  • Midori (Sintra, ‘chef’ Pedro Almeida) – novidade
  • Pedro Lemos (Porto, ‘chef’ Pedro Lemos)
  • São Gabriel (Almancil, ‘chef’ Leonel Pereira)
  • Vista (Portimão, ‘chef’ João Oliveira)
  • William (Funchal, ‘chef’ Luís Pestana e Joachim Koerper)
  • Willie’s (Vilamoura, ‘chef’ Willie Wurger)

// Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here